20 de dezembro de 2009

boa noite boa tarde e bom dia, Voinha




Por sentir.. escrevo.

Saudade do cheiro.
Saudade.
Saudar.

É irremediável a saudade que bate no meu peito e segue fluindo para a minha memória.
As recordações, todas, são bastante claras e puras para mim..
O sorriso infantil, um jeito de MÃE.. que acabava englobando a todos com suas doçuras e zelos,
O momento do café que nunca podia passar batido, o carinho na mão, o beijo e a
minha falta de senso em ti apertar até a mamãe dizer: "ô júlia, para de apertar a tua avó!"...

Nada apaga e nada fará "apagar" o que sentia quando sentava do lado da senhora.
Energia boa,
limpa,
inocente.

Afinal, não são as lembranças e as recordações o combustivel essencial que os homens
precisam para viver? Acredito fielmente nisso.
E para mim, sempre a manterei viva no meu peito e na minha memória, meu amor...
estará sempre bem aqui dentro, sem perigos, com muito carinho, café e um final de tarde bem lindo!


PRA ELA,
que sempre entendeu os meus pensamentos infantis...
pois na verdade, ela os tinha também.

Minha coalinha de cabelinho branco neve e Voinha nenem...

TE AMO,
amarei,
amando,
pra todo o sempre,
além-vida!

Nenhum comentário: